Friday, 9 September 2011

poesia: na mais alta madrugada

NA MAIS ALTA MADRUGADA 

Eliana, Virgínia & Michèle 


luminárias enfumaçadas pela neblina 
lança-me aos devaneios 

perco meu ser no espanto 
com os olhos em revoadas 

súbito vejo um banco num jardim 
destes solitários à espera de histórias 
coisas de amor ou de orvalhos 
seiva úmida das horas escuras 
nutrem inspirações 

oh... mistério da penumbra... 
que me faz perder o rumo 
em querência arriscada 

desnuda de paradigmas 
instintiva sou toda travessura 
que o perfume da noite expelia 

nuances lunares 
entrecortados pelo pensar 
tatuam sentimentos 

torno-me corola aberta 
à carícia das brumas e promessas 
de um amanhecer cálido 

e então a aurora me desperta 
vai desnudando a vida 
expõe a ferida e lambe a dor 

mas se mistura na reminiscência 
vence o medo e resolve existir 
reflete luzes e acaricia a flor 

setembro2011 
*..*. 
.* 

photo by Mark Thiessen
National Geographic

2 comments:

Eliana f.v. - Li Andorinha - said...

Mi amada...grata por mais esse momento gostoso! Poetar com vc e a Vi é uma alegria incrível!
Postei no meu blog com a tua formatação tá...no face também...
beijinhos cheios de bem querer
da Li

mimi said...

ei amiga linda, que prazeraço recíproco este de te reencontrar nas poesias... linda vc...

tb agradeço pelas mãos... cirandar assim é bem gostoso.

mais beijos de bem-querer
*