Monday, 1 April 2013

Conheça alguns dos principais conflitos ocorridos no mundo em 1968

folha uol
http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u396744.shtml


Conheça alguns dos principais conflitos ocorridos no mundo em 1968

PUBLICIDADE
da France Presse
Colaboração para a Folha Online
O ano de 1968 foi de revoltas no mundo todo. A juventude ansiava por mais liberdade, rejeitando a ordem estabelecida e a sociedade de consumo. Veja alguns dos principais conflitos ocorridos em 68:
Janeiro: Ofensiva do Tet (Vietnã)
As forças norte-vietnamitas atacavam centenas de cidades do sul, entre elas Hue e Saigon. A ofensiva surpresa, que causou comoção na opinião pública americana e desacreditou o governo do presidente Lyndon Johnson (1963-1969), mostrou que uma guerrilha poderia desafiar o até mesmo o poderio bélico dos EUA.
22.mar.1968 - Efe
O "Movimento 22 de Março" é o precursor da revolta estudantil que paralizou a França
O "Movimento 22 de Março" é o precursor da revolta estudantil que paralizou a França
Março: Nanterre se agita (França)
Estudantes liderados por Daniel Cohn-Bendit ocuparam a torre administrativa da Universidade de Nanterre e criaram o Movimento 22 de Março.
Abril: Assassinato de Martin Luther King (EUA)
Ativista contra a segregação racial nos EUA, o pastor negro e Prêmio Nobel da Paz em 1964 foi assassinado no dia 4 por um segregacionista branco em Memphis (Tennessee). Os distúrbios que se seguiram atingiram as grandes cidades americanas, entre elas Washington. Pouco tempo depois, o presidente americano Johnson assinaria a lei dos direitos cívicos, proposta por King.
Maio: A insurreição parisiense (França)
28.ago.1963 - AP
Reverendo Martin Luther King Jr. durante discurso "Eu tenho um sonho",em Washington (EUA)
Martin Luther King Jr. durante discurso "Eu tenho um sonho"
A agitação universitária se transformava em insurreição na madrugada de 10 de maio, com barricadas e incêndios de viaturas policiais no bairro latino Quartier Latin. Uma greve geral lançada no dia 13 do mesmo mês paralisa o país. Desconcertado a princípio, o governo se recupera e organiza, no dia 30, uma enorme manifestação de apoio ao presidente Charles de Gaulle, que declara: "Não sairei". Em julho, De Gaulle vence as eleições legislativas e se fortalece.
Enquanto a agitação causada pelos protestos contra a Guerra do Vietnã (1959-1975) se instala nos campi norte-americanos, o maio parisiense se estende a países como a Itália, a Alemanha, o Brasil, a Turquia e o Japão.
Junho: Um segundo Kennedy assassinado (EUA)
No dia 5 de junho, na noite de sua vitória nas primárias democratas da Califórnia, o senador Robert Kennedy, o Bobby, irmão mais novo do ex-presidente John F. Kennedy (1961-1963), assassinado em 1963, recebe vários tiros à queima-roupa disparados pelo palestino Sirhan Sirhan, e morre no dia seguinte.
Julho: Fome em Biafra (Nigéria)
Tragicamente famosa pelas imagens da fome difundidas pela mídia na época, a Guerra de Biafra, iniciada em 1967 pela luta separatista dessa região do leste da Nigéria, desencadeia um movimento humanitário internacional.
Reuters
Exército mexicano reprime protesto de estudantes em Tlatelolco, Cidade do México
Exército mexicano reprime protesto de estudantes em Tlatelolco, Cidade do México
Agosto: Repressão à Primavera de Praga (Tchecoslováquia)
Nomeado secretário do Partido Comunista tcheco em janeiro, Alexander Dubcek instaura a experiência original do "socialismo com face humana" e liberaliza o regime, algo inaceitável para Moscou, que, no dia 21, envia os tanques do Pacto de Varsóvia (aliança militar dos países do Leste Europeu) para reprimir os anseios por democracia.
Outubro: Massacre no México
Entre 200 e 300 estudantes mexicanos que realizavam protestos morrem após serem atacados pelas forças de ordem, no dia 2 de maio, na praça das Três Culturas, na Cidade do México. O massacre ocorre dez dias antes da abertura dos Jogos Olímpicos, quando, diante das câmeras de TV do mundo todo, dois atletas afro-americanos sobem ao pódio com os punhos erguidos com luvas negras, uma saudação do grupo de defesa dos direitos civis aos negros Panteras Negras.

No comments: