Thursday, 20 August 2009

OLHAR ALÉM MAR



Foto das pesquisadoras GPEA
Michelle Jaber, Regina Silva, Lúcia Kawahara e Imara Quadros
julho-agosto 2009
Cabo Verde - Forte da Cidade da Praia
*..*.
.*


Da encosta brasileira um avião voava rumo à Europa, para depois rumar ao continente Africano, deixando já saudades de 5 pesquisadoras em Educação Ambiental. Excitamento, ao lado de esperas, talvez fosse a palavra que melhor soasse para as pessoas que pisariam o solo cabo-verdiano pela primeira vez em suas vidas. O que as esperavam? E, mais precisamente, o que elas esperavam? A aventura apenas começava, num risco branco que cortava o céu azul pelas asas de um avião...

De fila em fila, Portugal estava quente, talvez em consequência do aquecimento global. Resmungos, chiados, ruídos e talvez xingos eram ouvidos nas filas, naquele momento soando como intermináveis. Desbravando maus humores e instalando atmosfera amiga, o sobrevôo em mares longínquos, ainda que com o mesmo nome, Oceano Atlântico, nos mostrava as ilhas descritas na dissertação da Aidil, ou seja, algumas ilhas que formavam a Macaronésia, mitologicamente tratada como “Atlântida” por Platão.

Um hotel acolhia-nos, talvez num excitamento maior em conhecer Cabo Verde durante o dia, já que entre o pouso e a chegada no hotel mostrava-se noturno. Um delicioso jantar, na companhia da Aidil e seu marido Antônio, trouxe os primeiros temperos africanos de peixes conhecidos como o Atum ou Garoupa, mas também das mais novas opções gastronômicas de Bica e Serra. Um vinho da Ilha do Fogo [CHÃ das Caldeiras] me trazia Baudelaire na memória, entre a bebida dos amantes e a paixão daquela gente que construía um melhor país para eles. Inevitável pensamento bachelardiano me rondava a alma, fisicamente na presença dos 4 elementos, numa porção de terra embrulhada com água salgada, que ainda esnobava vulcões em plena era de mudança climática! Desfilaram vários assuntos, promessas e mais curiosidades sobre as tais ilhas, embalados pelos sonhos que não custaram a chegar pelo cansaço de uma longa viagem que cortava o Atlântico, entre seus dois continentes: africano e americano, representados por Cabo Verde e Brasil.

Ainda com a curiosidade na boca sedenta, dormimos Lúcia, Imara e eu num quarto, na vizinhança hoteleira de Michelle e Regina. Adoráveis companheiras, bem humoradas e sobremaneira, amigas. E quiçá a história de minha mãe tenha realmente razão, quando ela afirmava de que as verdadeiras amizades são construídas em viagens longas.

Mas naquele momento de cansaço extremo, meros 5 corpos buscavam conforto nas camas, talvez com sonhos, ou sem sonhos; com cores ou em imagens pretas e brancas; com beijos partidos da América ao beijo ainda não dado na África... Talvez confusões em filas, alucinações com animais grandes do “exótico” continente... Mas talvez nem tão extrínseco, mas intrínseca identidade de legados africanos que povoam intensamente nosso Brasil...

[mimi, jul09]
*..*.
.*

10 comments:

virgínia vicamf além mar said...

nesta convivência esperançosa gostaria imensamente de inserir-me
embora no virtual a tenha acompanhado Michèle mestramiga resta
o desejo das saias à brisa e dos discursos emocionados, do vinho compartilhado , da taça amiga embebida da paixão à vida
parabéns e muito obrigada por estes momentos de esperança e vigor
abraços a ti e a todos do projeto-

Michèle Sato said...

querida VICA
Nosso II congresso lusófono será em junho2010, na cidade da Praia, capital de Cabo Verde. Quiçá seja um momento nosso de reencontro... de abraço e de celebração poética da nossa amizade também.

Um brinde, uma poesia, uma paixão...
*

Ruth Albernaz said...

Momento mágico...
Suavidade
Criatividade
Leveza
AMOR

Michèle Sato said...

são estas as qualidades que vejo em ti, doce ruthinha

grata pela passagem...
que deixa miragens
*

Lucia Shi said...

Sua mãe tinha razão sim Mimi querida!!

Foi uma viagem que trouxe novos significados para a vida!!

obrigada pela experiência inexpressivelmente maravilhosa!!

Michèle Sato said...

tb tive a certeza, doce lushi
do qto mamãe estava certa... e do quanto a amo e a admiro como AMIGA.

um beijo já cheio de saudades dos dias intensos que vivemos juntas por lá
*

Eliana f.v. - Li Andorinha - said...

Lindas meninas! Linda e contagiante energia!
Que gostoso Mi... com minha imaginação fértil junto ao teu texto delicioso... me vi entre vocês curtindo essa viagem... que ainda sonho em fazer de verdade

Parabéns pelo trabalho e o rico
material artístico que nos deixa aqui Mi!

beijinhos agradecidos da Li com muito carinho mesmo

Michèle Sato said...

uma viagem fascinante...
a áfrica é sempre um maravilhoso continente para se visitar e aprnder.

grata por tudo, andorinha
vc é mágica -- me faz feliz!
*

Daniel said...

Mimi.
Que narrativa deliciosa.
Fiquei imaginando as texturas,as cores,os ares,as canções sobre os amores,teu sangue pulsando ritmos afro-estelares,tua voz na cadência dos mares.Obrigado meu anjo.

Michèle Sato said...

que bela mensagem, daniel, muito obrigada. sua poética contagia e nos move adiante...

fraternuras e beijos
*