Friday, 8 February 2008

SAL


René Magritte: seducer
*..*.
.*

SAL

- michèle sato -


Mares
de brumas
que não apagaram
a dor

em sal


E um barco
a deriva
no mastro
a marca

de sal
dades


(ago07)

*..*..
.;*

28 comments:

além mar peixe voador said...

Lindo ! há doçura neste sal das identidades

além mar , bjs de admiração e ternura, tua virgínia

Michèle Sato said...

Amiga Vica, sempre maravilhosa e tão cuidadosa... Leonardo Boff tem que escrever sobre você, pois és o retrato daquilo que ele diz sobre o grande desafio do século: “cuidar do outro”!

Eu não queria mais mexer no blog, mas estava me sentindo mal deixar uma poesia em inglês logo acima. Resolvi colocar uma no nosso bom português (minha pátria, minha língua) e acho que dificilmente virei aqui de novo. Mas estou fascinada com o número altíssimo de visitas em tão poucos dias! Hoh la la!!!

Muito, muito (mesmo) obrigada por tudo. Você é uma das pessoas mais generosas que conheço! -- e olha que eu conheço gente pacas!
*

Reflexo d'Alma said...

Ador essa construção poetica das estrofes, da leveza e nos leva a
pensar em algo não estatico.
Lendo, fecho os olhos e vejo o barco, sinto a sensação de estar a deriva e sinto no peito o aperto da saudade que é falta da presença.
Veja quanta coisa seu belo texto tras a essa humilde mortal.
""E um barco
a deriva
no mastro
a marca
de sal
dades""

Depois passar le em casa...
Bjins entre sonhos e delírios

Michèle Sato said...
This comment has been removed by the author.
Michèle Sato said...

Reflexos da lama
postei uma resposta achando que ra um amigo, mas ao visitar seu blog, penso que me enganei, e tive que apagar a msg anterior... perdoe.

agradeço suas palavras, lindas! me deixaram encantada pela leveza, diria que deu outro poema!

grata e fraternuras
*

Meyviu said...

Eu sempre quis fazer esse tipo de poesia, brincando com as palavras, mas a única coisa que sai da minha mãe é subconsciente. Parabéns por tudo!

Michèle Sato said...

que bonita msg, muito obrigada. Visitei seu blog antes de te responder, e adorei muitas coisas surreais esbanjando talento por lá. Parabéns.

os surrealistas se encontram, afinal.
rumo ao manifesto e olé!!!

"isto não é um blog"
*

surrealismodoacaso said...

Olá Michèle, obrigado pelos elogios e ve se NÃO para de postar!

Michèle Sato said...

obrigada!

um beijo de delícias
*

Edson Marques said...

Michèle,

Reflexos de almas brilhantes me trouxeram aqui.


Deliciosamente.

Mas, às vezes, bem que podemos sugar o açúcar da sal dade!



Abraços, flores, estrelas..

Michèle Sato said...

Oi Edson,
gratíssima pela visita!

com certeza concordo contigo - entre o sal do mar, haverá sempre um momento de açúcar, café e afeto

meu doce predileto pra ti (choco)
*

Edson Marques said...

Michèle,

Obrigado pelo elogio à estética do blog Mude!

Mas não consegui entender (ainda) a tua delicada e enigmática ironia sobre o "esquecimento" de quem é autor do poema Mude.


Em todo caso, espero que você pelo menos compre o livro... rs!

O autor precisa comprar vinho... (mais rs!)

Flores e estrelas!

Michèle Sato said...

MUDE
Mas comece devagar,
comece na sua velocidade.

Sente-se diferente, em outra cadeira,
no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, ande pelo outro lado da rua,
depois mude de caminho,
ande por outras ruas, mais devagar,
observando os lugares por onde passa.
Tome outros ônibus, se for o caso.
Mude por uns tempos o estilo das roupas,
dê os seus sapatos velhos,
procure andar descalço por uns dias.
Tire uma tarde livre
para passear no parque ou na praia.
Saia sozinho para ouvir o canto dos pássaros.

Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama.
Depois, de ponta-cabeça.
Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais,
leia outros livros,
viva outros romances.
Troque de carro.
Não faça do hábito um estilo de vida.
- Ame a novidade.
Corrija a postura, faça ginástica, durma mais tarde, ou acorde mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia
numa outra língua.
Escolha novas comidas, temperos, cores,
diferentes delícias.
Experimente a gostosura da pouca quantidade.

- Tente o novo todo dia.
O novo lado,
o novo método,
o novo jeito,
o novo sabor,
o novo prazer,
o novo amor.
- A nova vida.
Faça novos amigos, mantenha novas relações,
almoce em outros lugares,
vá a outros restaurantes,
tome outros tipos de bebida,
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde - ou vice-versa.
Escolha outro mercado,
outra marca de sabão, novos cremes.
Tome banho em horários variáveis.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
(Comece agora uma viagem para bem longe do aqui.)
Faça amor de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas.
compre novos óculos,
escreva outras poesias, jogue fora o despertador.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, novos cabeleireiros,
outros teatros.
Visite novos museus.

- Mude.
Você conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento, o dinamismo,
a energia.
Dessa forma, apenas dessa forma - você viverá.
- Só o que está morto não muda!

(Edson Marques. No livro Solidão a Mil)

Michèle Sato said...

querido Edson,
primeiramente quero te dizer que não associei o poema com sua pessoa, pois vc é um cara super famoso!!!! Eu já conhecia o livro e por uma destas coisas ruins, o povo acha que a poesia "mude" é da Clarice.

Eu escrevi q não sabia a autoria na pressa, e peço milhões de desculpas! Abri meus txt pra encontrar o autor e qual não foi minha surpresa (e que baita honra!) ter o autor do poema aqui no meu blog!!!

Uma honra, portanto, e que o ruído de dissolva na magnífica obra que parece ter tomado vida própria!

Um brinde!
*

João Soares said...

Olá Mi, querida amiga
Para te dizer que o blogue está no meu Dossier Poesia e o teu sítio Deviantart está no meu Dossier Terra Artísitca.
Sempre muito grato pelos teus belos momentos de tranquilidade e de Bem que nos proporcionas.
Um beijão

Michèle Sato said...

Jão querido
visitei seu blog de novo, menino, qun=antas coisas interessantes - uau...

parabéns e honrada em ser citada por ti

beijos brasileiros, vou aí em abril, uma palestra no evento SETA, em Lisboa. Te escrevo antes pra ver se a gente se encontra!

amores
*

Anonymous said...

lovely blogger

lovely poems

Michèle Sato said...

why this nice compliment is anonymous?

anyway, thanks
*

RICARDO D. SANTOS said...

Achei lindo esse haikai, beijos Mi!

Michèle Sato said...

obrigada Ricardo

abração

Andréa Ferraz said...

Linda Mi...quanto mais leio o que escreve mais apaixonada por suas palavras me sinto...
Vc é mesmo um misto de fada e poetisa...
Neste navio de sal dades, consegui viajar através de mtas emoções inexplicáveis...só vc encantadora e suave mi, consegue tão façanha com minha alma...bjos doces como o mel, sobrepondo toda a sal dade...

Michèle Sato said...

querida Déa
suas palavras são dádivas, AMIGA, pq vc bem sabe o quão importante é na minha vida!

Dá um beijo na barriga pra cuidar do meu sobrinho - tá chutando já?

beijocas
*

Andréa Ferraz said...

Mi passando para por aqui para deixar a alma um pouco mais leve com seus poemas...bjos

Michèle Sato said...

amiga querida

às vezes a vida dá um giro e tudo parece perder sentido... Deixe a dor chegar devagar... chore... Mas essencialmente, saiba se erguer ao caminho adiante.

Meus dedinhos cruzados pela sua felicidade. Hoje e sempre!
*

Diogo Damasceno said...

Oi Mi querida,

Impossível não se emocionar contigo... os detalhes e a simplicidade com que escreve, a doçura das imagens... sonhos e esperanças sempre tão presentes...

Obrigado por existir, pelo carinho de sempre...

Com muitas saudades,
Com amor do Goiano que te adora,
Diogo Damasceno

Michèle Sato said...

Di, querido amigo
é muito emocionente receber uma mesnagem como a sua, por tudo que vc é e representa na minha vida.

muito obrigada pela visita no blog, e essencialmente, grata pela amizade.

beijo com doçura de quem te ama muito
*

Fabio Rocha said...

Adorei seu blog, Mi! Beijos

Michèle Sato said...

adorei sua visita, Fabinho!
thanks a lot

fraternuras
*